Notícias


ZFM protege a floresta, afirmam pesquisadores

Notícia publicada pelo Jornal Acrítica

Antonio Paulo

Parlamentares, pesquisadores e acadêmicos do Amazonas foram unânimes em afirmar que a Zona Franca de Manaus tem papel preponderante na preservação ambiental não somente do estado, mas de toda a Pan-Amazônia (que envolve nove países do continente sul-americano).

No debate, promovido pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços (Cdeics), da Câmara dos Deputados, essa tese foi explicitada pelo estudo do professor-doutor Alexandre Rivas, da Universidade Federal do Amazonas e presidente do Instituto Piatam, "Instrumentos econômicos para a proteção da Amazônia ­ A experiência do Polo Industrial de Manaus".

Tanto os membros da Cdeics quanto os convidados da audiência pública solicitaram à coordenação do Sínodo da Amazônia que o tema Zona Franca de Manaus não fique de fora da discussão episcopal.

A reunião dos bispos amazônicos com o papa Francisco ocorrerá entre 6 e 27 de outubro deste ano no Vaticano. Para o presidente da Comissão e autor da proposta de audiência pública, deputado Bosco Saraiva (SD-AM), o Sínodo para a Amazônia, cujo tema é "Amazônia: Novos Caminhos para a Igreja e para a Ecologia Integral", é uma emergência.
Surge para alertar sobre a perda de capital amazônico, não apenas o natural, mas a pressão sobre os povos e comunidades tradicionais, assumindo a denúncia de uma internacionalização.

Saiba mais >>

Pontos


acertados Sobre a insatisfação do governo federal com o Sínodo da Amazônia, que pôs a Abin para acompanhar as reuniões preparatórias, o coordenador da Rede Eclesial Pan-Amazônica, Leon Patrick de Souza, esclareceu que o governo brasileiro e a Santa Sé já "acertaram os pontos" divergentes.

E Zona Franca de Manaus é um projeto de desenvolvimento regional que converge aos argumentos do Sínodo da Amazônia. "O Parlamento se reúne para apresentar as suas manifestações sobre o Sínodo da Amazônia e suplementar a discussão sobre os valores que queremos para a região.

Nós e a Igreja estamos de mãos dadas pela preservação da floresta e pelo protagonismo regional no desenvolvimento que pretendemos para a região.

O lema `A Amazônia é Nossa' inspira Em audiência na Câmara de Deputados, estudiosos falaram sobre a importância da ZFM na preservação ambiental cuidado e nos motiva ao abraço coletivo em defesa da região", declarou Bosco Saraiva.

O coordenador nacional de articulação da Rede Eclesial PanAmazônica (Repam/Brasil), Leon Patrick de Souza, disse que a audiência pública se insere no conjunto de diálogos promovidos pela Igreja junto às comunidades da Amazônia, no processo de preparação para o sínodo; e que a Zona Franca de Manaus, por estar instalada na maior cidade da pan-Amazônia, pode ajudar a conceber formas de desenvolvimento que priorize ma dignidade humana.

"O desenvolvimento humano é integral e não pode se separar o meio ambiente das pessoas, por is so, esse debate da Zona Franca ajuda nessa integralidade", disse Souza. Ainda se manifestaram sobre essa relação ZFM e preservação ambiental o reitor da Ufam, Sylvio Puga, o deputado estadual Serafim Correa, representando a Assembleia Legislativa do Amazonas; e o vereador Elias Emanuel, representando a
Câmara Municipal de Manaus.

Futuro da ZFM é a bioeconomia

O ponto alto do debate ocorrido ontem na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços (Cdeics) foi a participação do professor-doutor Alexandre Rivas, da Ufam e do Instituto Piatam.

Ele apresentou a sua pesquisa, em parceria com o professor José Alberto da Costa Machado, James Randall Kahn e José Aroudo Mota, de 2009, que mostra, com dados científicos, a relação direta entre o Polo Industrial de Manaus e o menor nível de desmatamento do estado do Amazonas.

Essa tese foi reafirmada por um recente estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV). "Esses dois estudos mostram claramente que a Zona Franca deve continuar, mas precisa ir além, avançar nos processos de desenvolvimento industrial e gerar alternativas econômicas, usando sua vocação potencial, como a biotecnologia, bioeconomia, acreditando e desenvolvendo o mercado de carbono, com uma bolsa específica para esse fim.
É preciso, é necessário investir no EcoPIM porque esse é o futuro da Zona Franca de Manaus", disse o professor Alexandre Rivas. O reitor da Ufam, Sylvio Puga, lembrou que essa tese da preservação ambiental foi importante e decisiva na prorrogação da ZFM, em 2013 e será novamen
te.

Fique Informado