Notícias


Voto de confiança na Suframa

Reportagem publicada no Jornal do Commercio

O novo titular da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), Appio Tolentino, tomou posse oficialmente do cargo na tarde de quarta-feira (14) em uma solenidade realizada na sede da autarquia, no distrito industrial, zona sul. A meta, segundo o superintendente, a partir de agora é promover a aproximação entre a instituição e a classe empresarial com o intuito de impulsionar o desenvolvimento industrial no Estado. Entre as ações iniciais destacadas pelo gestor, está a análise quanto à situação jurídica do CBA (Centro de Biotecnologia da Amazonônia). Ele informou que fará uma visita técnica ao centro de pesquisas na sexta-feira (16), acompanhado do corpo técnico da autarquia. Os representantes industriais demonstraram apoio ao superintendente e também externaram boas expectativas quanto à gestão de Tolentino.

Segundo o superintendente, os trabalhos de levantamentos de informações sobre a autarquia e os processos em tramitações iniciaram desde sua nomeação, no dia 1º de junho. Ele destacou que as ações terão como foco a atração de novos investimentos, a identificação de demandas brasileiras de importação de forma que empresas estrangeiras tenham o interesse de operar no Estado, além da abertura de novos mercados e do fomento à pesquisa.

"Queremos, hoje, uma Suframa que entenda que é um instrumento do desenvolvimento econômico, um instrumento de apoio à indústria e ao comércio, à agropecuária e ao agronegócio, assim como aos serviços. Precisamos trabalhar visando o principal inimigo que é o desemprego e a falta de investimento. Estamos com posições claras na questão de sermos proativos na atração de investimentos e na identificação das demandas brasileiras de importação. Vamos tentar contatar com as empresas para virem para Manaus para que as fabricantes comprem de empresas instaladas na região", explicou. "Vamos estudar a situação do CBA. A visita ao centro está agendada para sexta-feira juntamente com o corpo técnico da Suframa", completou.

Para o diretor executivo do Cieam (Centro da Indústria do Estado do Amazonas), Ronaldo Mota, a mudança de cargo no primeiro escalão da autarquia é considerada como normal e não deverá alterar os planos e tramitações na superintendência. Ele destacou a experiência de Tolentino como servidor de carreira do Governo do Estado, atuando na Seplan (Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico), o que segundo o empresário, contribuirá quanto à condução da autarquia.

"O novo superintendente é servidor de carreira do Governo do Estado e certamente traz consigo a vontade de acertar e fazer o melhor pelo nosso Estado. Com certeza ele (Tolentino) saberá conduzir os incentivos federais. Os acertos que vinham sendo feitos terão continuidade", disse.

Em relação ao cancelamento da realização da edição de 2017 da Fiam (Feira Internacional da Amazônia), Mota explicou que não é nenhuma surpresa frente ao cenário de problemas econômicos enfrentados pelas empresas a nível nacional, o que não é diferente no cenário local.

"O cancelamento da Fiam não é surpresa porque sabemos que o país enfrenta uma crise econômica e sabemos da dificuldade que seria conduzir uma feira. Hoje, as empresas também passam por problemas. O cancelamento se deu muito mais por questão de contingência financeira. O momento não é propício para gastos. Se o governo federal não tem recursos para investir na feira, imagina as empresas", destacou.

Durante o pronunciamento, o vice-presidente da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Nelson Azevedo, citou algumas exigências de mudanças necessárias no cenário empresarial e fabril para que o sonhado desenvolvimento industrial se torne realidade.

Dentre os pontos citados pelo empresário estão: a elaboração de uma política pró-competitiva que estimule a qualificação da mão de obra e o aprimoramento de bens e serviços produzidos; o aumento de investimentos em P&D (Pesquisa e Desenvolvimento); agilizar a aprovação dos PPBs (Processos Produtivos Básicos); maior integração nacional e internacional da economia para modernizar a produção e a tornar competitiva.

"Os atrasos nas aprovações dos PPBs se tornam barreiras para a aprovação de novos projetos que possibilitam a geração de emprego à ZFM (Zona Franca de Manaus). Também é preciso pressionar para que sejam dispensadas da etapa de consulta pública as propostas de fixação ou alteração dos PPBs", solicitou.

Formação

Engenheiro de Pesca e advogado tributarista, Tolentino é experiente na atuação em órgãos governamentais, em atividades de fiscalização e acompanhamento de indústrias incentivadas, políticas industriais e ações de desenvolvimento econômico. O superintendente ingressou no serviço público há 30 anos, na então SIC (Secretaria de Estado da Indústria e Comércio), do Amazonas, atual Seplan. No órgão, ocupou cargos de gerente de laudo técnico e de diretor de departamento na área de desenvolvimento econômico, além de ter sido secretário executivo de desenvolvimento econômico. A experiência no serviço público inclui, ainda o cargo de professor da UFAM (Universidade Federal do Amazonas) em piscicultura e aquicultura e também o de servidor concursado do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), atividade que exerceu por 3 anos.

Fique Informado