Notícias


Tucunaré é símbolo e chamariz de turistas

Notícia publicada pelo Jornal do Commercio

Desde o início do mês foi dada a largada para a realização do 6º Torneio de Pesca Esportiva Amigos do Tarumã, que acontecerá no dia 21 de setembro, sábado. As equipes já estão se inscrevendo através do site www.amigosdotaruma.com.br

Há poucos anos este segmento da pesca se tornou um forte atrativo de turistas para o Amazonas, principalmente nas regiões do médio Rio Negro, entre Santa Isabel do Rio Negro e Barcelos. Dados do Governo do Estado mostram que, no ano passado, mais de dez mil turistas/pescadores vieram para o Amazonas movimentando cerca de R$ 50 milhões.

“Temos vários tipos de pesca no Amazonas: a de subsistência (a primeira de todas); a comercial (que abastece nossas feiras e mercados); a manejada (voltada principalmente para o pirarucu, em áreas de conservação); a ornamental (praticada há décadas na região de Barcelos); e a esportiva, esta, direcionada para pescadores profissionais, que chegam ao Amazonas de várias partes do país e do exterior. Nessa pesca, o peixe é devolvido à água após pescado e fotografado”, falou o engenheiro de pesca João Bosco Ferreira, gerente de pesca da Sepa/Sepror (Secretaria Executiva Adjunta de Pesca e Aquicultura).

“Calculo que a pesca esportiva tenha começado timidamente em nosso Estado há uns 30, 40 anos, mas nos últimos anos tem evoluído de tal forma, que se tornou um importante segmento turístico, tanto que outras regiões, nas proximidades de Novo Airão, Silves, Nova Olinda do Norte, Borba, Careiro, e São Sebastião do Uatumã já começam a se movimentar para pegar um pedaço deste quinhão turístico. Balbina tem pesca esportiva todo final de semana. O Torneio de Pesca Esportiva Amigos do Tarumã já se tornou uma referência para Manaus, com um número crescente de participantes de outros estados e países”, relatou.

Um chamariz de turistas

“Além da pesca esportiva, nosso objetivo é harmonizar e alinhar o uso correto dos recursos pesqueiros com o desenvolvimento sustentável das comunidades que ali residem”, falou o empresário Rogério Bessa, um dos organizadores do Torneio de Pesca Esportiva Amigos do Tarumã.

“Desde o primeiro torneio, em 2014, sempre fomentamos o recolhimento de lixo no Tarumã durante o torneio. Nesses cinco anos já recolhemos mais de cinco toneladas, ou seja, mais de uma tonelada de lixo retirado do rio somente no dia do evento. Queremos que o Tarumã seja olhado com outros olhos e seja revitalizado”, completou.

Sobre a redução de tucunarés naquele rio, reclamada por alguns pescadores, Rogério diz desconhecer.

“É visível o aumento da produtividade e do tamanho dos peixes, através de uma planilha de monitoramento que fazemos a cada edição do evento. O Amazonas detém dois recordes brasileiros de comprimento de tucunaré. Em 2016, um indivíduo fisgado mediu 73cm5 aqui mesmo na APA Tarumã Açu. Ano passado este recorde foi batido por outro peixe que mediu 75cm, fisgado na RDS Puranga, a 60km de Manaus, no baixo rio Negro. Este tucunaré, até agora, é o maior peixe já fisgado em campeonatos de pesca profissional”, informou.

“Existem outros peixes que podem ser pescados na pesca esportiva, como a traíra, o aruanã, a matrinchã, o tambaqui, na vazante; e outros, lisos, com o surubim, a pirarara, a piraíba e a cachara, o ano inteiro, porém, nenhum se compara ao tucunaré. O tucunaré é um peixe que possui uma força desproporcional em relação ao seu tamanho, briga muito ao ser fisgado, explode no ataque à isca, e é muito bonito, por isso virou o símbolo da pesca esportiva no Amazonas, capaz de ser o chamariz de milhares de pescadores profissionais que viajam horas, dias, quilômetros e quilômetros de várias partes do planeta, para vir pescá-los aqui”, exultou.

“Esse tipo de turismo ainda movimenta uma cadeia produtiva que envolve transporte, hospedagem, alimentação, locação de embarcações, guias de pesca, material de pesca e combustível. Muita gente ganha com ele”, concluiu.

Mais inscritos a cada edição

A taxa de inscrição, no primeiro lote, para o 6º Torneio de Pesca Esportiva Amigos do Tarumã é R$ 500 e poderá ser feita até o dia 31 de agosto. Já o segundo lote, no valor de R$ 600, poderá ser efetuado de 1º a 16 de setembro, apenas para equipes de dois a três pescadores.

A organização do evento irá realizar um congresso técnico no dia 20 de setembro e, no dia 21, dará início às provas da competição.

Entre outras figuras ilustres, o torneio irá contar mais uma vez com a presença do maior ícone nacional e internacional da pesca esportiva, Nelson Nakamura. Padrinho da competição, ele é um dos grandes fomentadores da pesca esportiva na região amazônica.

“Acreditamos que o número de inscritos irá subir. Começamos com 45 equipes e, até o último torneio, foram 72. Em 2019, esperamos reunir 75 equipes, quem sabe chegar a 100”, revelou Lúcio Bezerra, um dos organizadores do evento.

As premiações da competição serão divididas em duas categorias, Mérito e Sorteio. A premiação por Mérito compreende as equipes que conquistaram do 1º ao 10º lugar no pódio, a equipe que captura o maior peixe do torneio e a pescadora que capturar o maior peixe na categoria Feminina. Todos estes receberão troféus e medalhas.

Na categoria Sorteio, como o próprio nome já diz, serão sorteados prêmios como bote para pesca, motores de popa, motor elétrico, carreta para barco, equipamentos náuticos, pacotes em barco-hotel, pacotes em pousadas de pesca, eletrônicos entre outros.

Além destes, a competição terá ainda um desafio de arremesso numa programação a parte e que não contará ponto para a classificação geral do torneio. Serão mais de R$ 80 mil em prêmios.

Fique Informado