Notícias


Receita da Samsung chega a R$ 23 bi no Brasil

Notícia publicada pelo Valor Econômico

Gustavo Brigatto

Em um ano de economia cambaleante, com incertezas no horizonte político, a Samsung apresentou um crescimento de mais de 15% em sua receita no Brasil em 2018. Com base no balanço anual publicado pela companhia na Coreia do Sul, as vendas da Samsung Eletrônica da Amazônia chegaram a R$ 23,2 bilhões, segundo cálculos do Valor Data.

Em dólares, o valor permaneceu estável na comparação com 2017, totalizando US$ 6,3 bilhões. O desempenho passado foi impulsionado pelo crescimento na venda de modelos mais caros de smartphones e de TVs - reflexo da Copa do Mundo da Rússia.

A série histórica do desempenho da companhia no Brasil, pesquisada por este jornal, mostra que desde o começo da década a operação da Samsung cresceu mais de três vezes no país, passando de R$ 6,6 bilhões para os atuais R$ 23,2 bilhões. Procurada, a Samsung não comentou os números.

A empresa tem fábricas em Manaus e em Campinas, para produzir TVs e celulares. E importa outros produtos como geladeiras e lavadoras de roupa. O avanço da receita coincide com o ganho de relevância da companhia no mercado brasileiro de smartphones.

A estimativa é que praticamente metade dos aparelhos vendidos no varejo brasileiro seja da Samsung. Os campeões de venda em volume são os modelos da linha J, que tem preços entre R$ 600 e R$ 1,2 mil. Tendo como um de seus principais parceiros o Magazine Luiza, a Samsung também se beneficiou do crescimento acelerado desta varejista nos últimos anos.

A operação da Samsung no Brasil é lucrativa. No ano passado, quando a receita foi de R$ 23,2 bilhões, o lucro foi de R$ 2,6 bilhões. Este resultado apresenta uma queda considerável, de 36,6% em relação a 2017, quando o lucro ficou em R$ 4,1 bilhões. Em dólares, a retração foi ainda maior, de 46%, para US$ 700 milhões - montante condizente com o desempenho da operação nos últimos anos.

O recuo no lucro é explicado, em parte à base de comparação mais alta de 2017, ano em que a fabricante ampliou sua fatia no mercado de televisores e conseguiu vender um volume maior de aparelhos mais caros. Também teve ganhos importantes com operações financeiras.

A estratégia da Samsung no Brasil continua ancorada em TV e celular. Hoje a empresa fez um evento em sua sede em São Paulo para apresentar a linha de smartphones S10 no país.

Os modelos, anunciados globalmente no fim de fevereiro, marcam o décimo ano de lançamento dessa linha, que tem aparelhos mais caros e opções intermediárias. a família S10, geralmente composta por dois modelos (neste ano o S10 E O S10+), ganhou um novo integrante, com preço um pouco mais acessível, o S10e.

Os aparelhos entraram em pré-venda hoje chegarão às lojas em 4 de abril com seis combinações de memória e espaço para guardar arquivos e preços entre R$ 4.299,00 R$ 8.999,00. No ano passado, no lançamento da linha S9, os preços variavam entre R$ 4.299,00 e R$ 4.899,00.

"Fazemos várias pesquisas com consumidores e percebemos que há demanda [por aparelhos mais caros]. Esse é um mercado que ainda tem pouca penetração no país", disse André Vargas, gerente de produtos da companhia.

Fique Informado