Notícias


Produção de bicicletas cresce 25,7% em setembro

Notícia divulgada pela Abraciclo

As fabricantes de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) continuam em ritmo de crescimento. Em setembro produziram 81.590 unidades, volume 25,7% superior ao registrado no mesmo mês do ano passado (64.907 unidades), de acordo com os dados divulgados pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo. Contudo, houve queda de 16,6% na confrontação com agosto, quando sairam das linhas de produção das associadas da entidade 97.773 bicicletas.

Segundo Cyro Gazola, vice-presidente do Segmento de Bicicletas da Abraciclo, esta redução ocorreu porque a maior parte do volume para abastecer as altas demandas puxadas por datas comemorativas importantes, como Dia das Crianças,Black Friday e Natal, foi produzida até agosto e os estoques estavam sendo distribuídos às lojas em setembro. Outro motivo da redução da produção foi o menor número de dias úteis (19) na comparação com agosto, que contou com 23 dias.

No desempenho do acumulado do ano, as fabricantes de bicicletas continuam a obter bons resultados. De janeiro a setembro, produziram 578.449 unidades, alta de 16% sobre igual período de 2017 (498.469 unidades).

“Este cenário positivo tem se consolidado devido ao crescimento do uso das bicicletas para mobilidade e práticas esportivas e de lazer”, diz Gazola. Além disso, as redes cicloviárias continuam a crescer nos municípios e, desta forma, estimulam o uso das bicicletas em geral. “É importante lembrar que os consumidores buscam cada vez mais os produtos de maior valor agregado, que são exatamente os fabricados no PIM”, comenta o executivo.

Devido ao bom desempenho registrado ao longo do ano, a entidade já havia revisado para cima sua projeção inicial de produção e, agora, espera fabricar 765.000 unidades em 2018, o que representará um crescimento de 15% sobre as 667.363 unidades produzidas no ano passado. A projeção inicial era de uma alta de 9% na produção de 2018, alcançando727 mil unidades.

Desempenho por Categorias

Os dados divulgados pela entidade mostram também que em setembro foram produzidas 50.278 bicicletas da categoria Urbana, correspondendo a uma redução de 22,9% sobre agosto (65.206 unidades), porém significando também um crescimento de 20,4% em relação a setembro de 2017 (41.750 unidades).

A categoria Mountain Bike (MTB) contou com 30.967 unidades produzidas em setembro, volume 2,8% menor em comparação com agosto (31.862 unidades) e 37,7% maior que o registrado em setembro de 2017 (22.485 unidades).

A categoria Estrada totalizou 345 unidades produzidas em setembro, significando recuo de 51,1% sobre agosto (705 unidades) e também a uma queda de 48,7% na comparação com setembro do ano passado (672 unidades).

Em termos de participação na produção total somente em setembro, a Urbana aparece no topo com 61,6%, seguida da MTB, com 38%, e da Estrada, com 0,4%. Vale destacar que o segmento MTB vem crescendo principalmente porque envolve um tipo de bicicleta que passou a ser utilizado também nas cidades, apesar de sua aplicação clássica como veículo off-road.

Ainda segundo os dados da entidade, de janeiro a setembro os volumes de bicicletas produzidos no PIM foram distribuídos para comercialização para as seguintes regiões do País: Sudeste, com 54,6% das unidades; Sul, 19,4%; Nordeste, 14,7%; Centro-Oeste, 6,2%; e Norte, com 5,1%.

Confira a seguir as características básicas das bicicletas de cada categoria:

Urbana/Recreacional – caracterizada pelas bicicletas projetadas para mobilidade urbana ou recreação fora da terra. Para isto, oferecem mais conforto, com posição de pedalar mais confortável, amortecimento frontal ou não, pneus slick (com banda lisa) e semi-slick (banda com cravos bem baixos ou desenhos), para-lamas ou não e luzes de segurança.

Mountain Bike – bicicletas destinadas ao público adulto, geralmente com aros de 26 a 29 polegadas, quadros full-suspension e/ou amortecimento frontal. Ideais para o uso em trilhas e terrenos acidentados.

Estrada – bicicletas com aro de 700 milímetros, pneus estreitos tipo slick e quadro e garfo sem amortecimento. Destinadas às modalidades de performance no asfalto.

Exportações e Importações

As exportações brasileiras de bicicletas totalizaram 1.775 unidades em setembro, volume 15,5% superior ao de agosto (1.537 unidades), porém 43,5% inferior às 3.140 unidades exportadas no mesmo mês de 2017, conforme dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) analisados pela Abraciclo.

No acumulado de janeiro a setembro foram exportadas 9.181 unidades, correspondendo a um crescimento de 16,3% ante o volume de igual período de 2017 (7.891 unidades). Os principais destinos dos produtos foram Paraguai (48,3%), Uruguai (30,6%) e Bolívia (19,2%).

As importações de bicicletas feitas em todo o território nacional chegaram a 6.371 unidades em setembro, correspondendo a redução de 61% na comparação com agosto (16.345 unidades) e de 67,2% diante do volume de setembro de 2017 (19.437 unidades), também de acordo com a análise da Abraciclo sobre os dados do MDIC.

No período de janeiro a setembro, as importações de bicicletas somaram 82.366 unidades e foram 11,2% menores que o volume dos primeiros nove meses de 2017 (92.746 unidades). Estas bicicletas foram fabricadas principalmente na China (82,2%), Taiwan (6,5%) e Camboja (4,5%).

Fique Informado