Notícias


Pessoas da classe C estão mais interessadas por energia solar no Brasil

Notícia publicada pelo Jornal do Commercio

O Portal Solar, maior marketplace especializado em energia solar do País, acaba de concluir pesquisa que revela que os consumidores da Classe C lideram o número de consultas para aquisição de equipamentos de geração fotovoltaica. O levantamento foi realizado com base em 1,2 milhão de consultas feitas no e-commerce durante todo o ano de 2018.

Os dados do estudo mostram que a renda média familiar das pessoas interessadas é de R$ 2.857,00. Segundo Rodolfo Meyer, CEO do Portal Solar, a escalada nas tarifas de energia nos últimos anos é um dos principais motivadores do interesse da Classe C na aquisição dos equipamentos solares. “Na última década, o preço do kit solar caiu cerca de 75%, o que tornou a alternativa energética mais atrativa para famílias de renda média”, explica Meyer.

A pesquisa ainda constatou que 30% dos usuários que fizeram as consultas são empresários, 25% assalariados, 22% autônomos ou profissionais liberais, 16% funcionários públicos e 8% aposentados ou pensionistas. Em relação à situação do imóvel, 80% já foram construídos e 85% dos clientes se declararam donos da propriedade. “O levantamento nos mostra que a energia solar é a fonte mais popular e democrática entre as famílias brasileiras”, conclui Meyer.

O Portal Solar movimentou cerca de R$ 100 milhões em equipamentos de geração solar distribuída no Brasil em 2018. Ao todo, foram comercializados aproximadamente 6 mil geradores fotovoltaicos, o que perfaz uma potência de 30 megawatts instalados em 6 mil telhados de residências, comércios e indústrias, num total de 100 mil painéis solares.

A projeção do marketplace para este ano é atingir a cifra de R$ 500 milhões em negócios no País. Ao todo, o portal agrega cerca de 7 mil empresas e 2 mil itens disponíveis, incluindo centenas de opções de geradores fotovoltaicos (painéis solares), equipamentos de instalação, inversores, sistemas de bombeamento, entre outros.

O consumidor pode adquirir todo o sistema fotovoltaico para sua residência, comércio ou indústria diretamente no site do Portal Solar. Uma das estratégias adotadas pelo marketplace é o financiamento integrado para a compra e instalação dos equipamentos, via parceria exclusiva com a BV Financeira, marca de varejo do Banco Votorantim.

A operação de crédito é feita totalmente online e os recursos destinam-se a projetos orçados entre 5 mil e 500 mil reais, com parcelas que variam de 12 a 60 vezes e taxa de juros à partir de 0,99% ao mês e carência de até 60 dias. “A proposta do Portal Solar segue o mesmo conceito dos marketplaces do Vale do Silício, nos Estado Unidos, e da Austrália, de facilitar e ampliar o acesso às mais modernas tecnologias de geração solar”, comenta Meyer.

Volume recorde

As expectativas quanto à redução de emissão de gases de efeito estufa nos Estados Unidos se esvaziaram após Donald Trump se retirar do tratado de Paris em 2017. Além disso, uma tarifa de importação sobre painéis solares, combinada à redução de um incentivo federal à energia solar e eólica acabaram com as esperanças de muitos ativistas. Mas apesar do pouco apoio do governo, as empresas americanas estão liderando a redução das emissões de carbono. Uma das formas de fazer isso é através de contratos de compra e venda de energia (PPA, na sigla em inglês), que permitem a uma companhia comprar energia limpa diretamente de geradores independentes.

Dados divulgados pela Bloomberg New Energy Finance mostram que a demanda empresarial em todo o mundo, especialmente na América, aumentou de forma acentuada. Globalmente, as companhias compraram um recorde de 13,4 gigawatt de energia limpa em 2018, mais do que o dobro do ano anterior. As empresas das Américas responderam por 60% desse total.

Companhias de tecnologia tiveram papel importante nesse quadro. O Facebook comprou 2,6 GW no ano passado. O Google, por sua vez, conseguiu alcançar a meta de cobrir 100% de seu consumo de energia com compras de energia limpa. Mesmo fora do Vale do Silício, as empresas estão entrando na onda da energia limpa. A AT&T foi a segunda maior compradora de energia limpa via PPA no ano passado, e a ExxonMobil se tornou a primeira grande empresa de petróleo a assinar um acordo desse tipo.

As empresas estão se unindo. A aliança RE100, formada por companhias como Facebook e Apple, tem 161 signatários com meta de usar 100% de energia de fontes renováveis. O objetivo é ambicioso. Para alcançá-lo, esse grupo de empresas precisaria adquirir 190 TWh a mais de energia limpa em 2030.

Fique Informado