Notícias


Investimentos e expansão de empresas trazem ânimo à ZFM

Fonte: Em Tempo

Rebeca Mota

A melhora das condições macroeconômicas do Brasil, a expansão de empresas para a Zona Franca de Manaus (ZFM) e o avanço na produção das fabricantes dão ânimo para o Polo Industrial de Manaus. Nas últimas semanas, algumas empresas injetaram mais capital em suas unidades locais.

Uma delas é a Daikin, fabricante de condicionadores de ar que resolveu ampliar a produção em Manaus. O superintendente da Suframa, Alfredo Menezes, recebeu a informação do diretor presidente da empresa, Tomoji Miki sobre o plano de expansão a ser realizado nos próximos cinco anos, que deverá dobrar a capacidade produtiva da fábrica e colocá-la no mercado da exportação para a América do Sul. “Temos interesse na exportação e vamos precisar do apoio da Suframa para dar início a esse processo”, afirmou o diretor.

A planta da Daikin no Polo Industrial de Manaus (PIM) é a única da empresa no continente sul-americano e a proposta da empresa é torná-la o centro de negócios na América Latina, concentrando produção e engenharia na planta da capital amazonense. “Trabalhamos para impulsionar a economia e nossa equipe está à disposição para as demandas”, afirmou o superintendente.

Outra empresa que anunciou duplicar os investimentos no Amazonas nos próximos dois anos é a Michelin, uma das líderes globais no mercado de pneus.

O grupo que adquiriu a Levorin, espera duplicar, nos próximos dois anos, a aquisição de matéria-prima e mão de obra para a sua unidade no PIM. Nos planos do grupo estão o aumento das exportações para o mercado nacional e países da América do Sul, além do México, segundo informações do presidente da Michelin, Francis Ferreira.

Maior compradora de borracha do mundo, a Michelin pretende adquirir o máximo da produção local, segundo o executivo do grupo. Nesse período, a empresa também espera aumentar de 900 para 1,4 mil o total de pessoal contratado. Para isso, a direção da empresa considera importante discutir com o Estado as alternativas para remover os gargalos no processo de beneficiamento local da borracha.

O secretário em exercício de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Renato Freitas, disse que há, por parte do governo estadual, total interesse em discutir propostas que apontem para a reestruturação da cadeia da borracha. E lembrou que a borracha está na base histórica do desenvolvimento do Amazonas, respondendo pelo primeiro ciclo econômico próspero do estado, razão pela qual é uma das prioridades do projeto de fortalecimento das cadeias locais de produção.

Avanço na produção

A produção das motos da Triumph, fabricantes de motocicletas na Zona Franca de Manaus, que completou sete anos de operação no final do ano passado, vai atingir 30 mil motos neste início de 2020, conforme informações do Renato Fabrini, General Manager da Triumph. “Vale lembrar que 100% das motos vendidas no Brasil é montada em Manaus, o que comprova a confiança da Triumph no mercado brasileiro”.

As vendas da Triumph no Brasil continuam em crescimento e, em 2019, bateram um recorde histórico, superando pela primeira vez a marca das 5 mil motocicletas. Foram emplacadas 5, 3 mil motocicletas entre janeiro e dezembro, número que indica um crescimento de 21% sobre o volume emplacado ao longo de 2018. Além disso, esse percentual é bem superior ao crescimento do mercado brasileiro de motos acima de 500 cc, que foi de 16% no ano passado.

Para 2020, a meta é crescer mais 10%, se aproximando bastante de outra marca emblemática – as 6 mil motos por ano. “Para seguir nesse ritmo de crescimento, a Triumph já prepara novidades para o consumidor, como o lançamento de um novo programa de financiamento das suas motos, que será lançado ainda em 2020, com prazos e taxas de juros mais atraentes”, afirma Renato Fabrini, General Manager da Triumph.

“Nosso otimismo para este ano deve-se a vários fatores, como a chegada de novos produtos, abertura de novas Concessionárias em regiões ainda não exploradas pela Triumph e a própria retomada do crescimento do segmento de motocicletas no Brasil”, explica o executivo. Segundo ele, já estão previstos os lançamentos de quatro novas motocicletas em 2020 (duas delas foram expostas no Salão Duas Rodas: a Street Triple RS e a Rocket 3 R). A nova Rocket 3 R, por exemplo, já teve 103 unidades vendidas na pré-venda lançada no Salão Duas Rodas”, diz

Fique Informado