Notícias


Frente Parlamentar em Prol do Polo Tecnológico

Notícia publicada pelo Jornal Acrítica

Nícolas Marreco

Um projeto de resolução, que visa instalar uma frente parlamentar em prol da implantação de um Polo Tecnológico, em Manaus, está em tramitação na Câmara Municipal de Manaus (CMM) desde o dia 27 de maio. Segundo os autores, a ideia é "fomentar" a legislação para viabilizar as alternativas econômicas da cidade, em consonância com o Plano Dubai".

O vereador e presidente da Ewerton Wanderley (PHS) informou que o projeto tramita com pedido de brevidade na casa."Ele deve ir para a CCJ [Comissão de Constituição e Justiça] na próxima segunda e ser aprovada em breve", projetou. A proposta conta com a união de instituições representativas do segmento e, conforme o vereador, houve ampla adesão por parte das entidades. "Entregamos cartas e fizemos visitas às universidades públicas, institutos de tecnologia, Suframa, Governo, Prefeitura e Sociedade civil organizada. Todas nos integraram aos assunto e compartilharam interesse", acrescentou. Um dos objetivos almejados é flexibilizar a tributação para indústrias do segmento de software fincarem filiais no território, dando segmento, em tese, aos parques tecnológicos do Estado.

A abertura de audiências públicas e tribunas populares para tratarem sobre o tema, nas próximas semanas, serão para direcionar as demandas de executivos e da comunidade acadêmica ao Poder Público.

Os autores da proposta não deram um prazo de quando os trabalhos legislativos serão terminados nem um período para sugerir ao Executivo as leis votadas no Parlamento.

Cidade Universitária

Em debate na última sexta-feira, o Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Manaus (Codese) discutiu planos e pediu a encomenda de um novo estudo de viabilidade técnica-econômica para as matrizes alternativas ao Polo Industrial de Manaus (PIM). Para o presidente do Codese, Antônio Azevedo, a ideia original do projeto Cidade Universitária da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) é um dos locais chaves que podem sediar o Polo Tecnológico. "A indústria da tecnologia digital é uma das que mais exige mão de obra qualificada e as universidades também devem participar desse diálogo", disse.

Busca rápida

Estudo de viabilidade está sendo preparado

Orçado aproximadamente em 1,2 milhão, o estudo foi encomendado pela Mckinsey e será capitaneado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Governo do Estado e Codese, com previsão de término em seis meses. Ao final do estudo, pretende-se concentrar os recursos de Pesquisa e Desenvolvimento do PIM para otimizar o desenvolvimento de startups e institutos em conhecimento digital, além de definir as estruturas de cadeias econômicas para o turismo, mineração, bioeconomia e psicultura.

Fique Informado