Notícias


Duas rodas acelera para fora da crise

Notícia publicada pelo jornal Acritica

O setor de duas rodas já sente a retomada no crescimento na Zona Franca de Manaus após sete anos de queda, resultado disso são as fabricantes de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) que fecharam o mês de abril com 88, 4 mil unidades produzidas, uma alta de 37,3% sobre abril do ano passado, com 64,3 mil.

Além disso, o ano começou com alta na geração de empregos, algo que não acontecia desde 2013. “Isso mostra que o setor de duas rodas está se recuperando e caminha para um crescimento sustentável. A projeção é de um crescimento de 5,9% na produção do presente ano em comparação com 2017, contudo, caso a evolução dos negócios prossiga como vem se apresentando, esta estimativa poderá ser revisada para cima”, destaca o diretor executivo da Abraciclo, José Eduardo Gonçalves.

Segundo a Abraciclo, o último ano em que o Polo de duas rodas conseguiu ultrapassar a marca de 2 milhões de motos produzidas foi em 2011.

Nos anos que seguiram a produção só despencou. José Eduardo destaca que este crescimento deve-se principalmente à retomada da economia, que estimulou o aumento da demanda no varejo, e a melhora na concessão de financiamento aos consumidores, principalmente pelos bancos das montadoras.

“Este é um ano atípico, em que teremos a Copa do Mundo em junho e eleições majoritárias no segundo semestre. Estes fatores poderão causar impactos no mercado. Todavia, em função dos atuais indicadores macroeconômicos e considerando-se a evolução dos negócios no primeiro quadrimestre, o mercado de motocicletas deverá encerrar o ano com resultados melhores em relação a 2017”, diz.

VENDAS

Em abril foram repassadas às concessionárias 78,5 mil unidades, alta de 28% na comparação com o mesmo mês de 2017 com 61,3 mil, mas um recuo de 10% Em números Divulgação 37,3% foi o crescimento da produção de motocicletas em abril na Zona Franca. Foram produzidas 88, 4 mil unidades produzidas, superando o resultado de abril do ano passado: 64,3 mil. 347,9 mil Número de motos fabricadas em Manaus no primeiro quadrimestre do ano.

O avanço foi de 17,6% sobre o mesmo período do ano passado (295.761). 8% É a estimativa de alta na oferta de empregos na Triumph ainda neste ano. A fábrica da Triumph deve reforçar o quadro de funcionários visando a ampliação da produção. sobre março (87.243).

Já no acumulado dos quatro primeiros meses houve aumento de 12,8%, sendo 312 mil unidades de janeiro a abril deste ano e 277.160 em igual período do ano passado.

EMPREGOS

O movimento de retomada nos empregos no setor de duas rodas é evidenciado nos Indicadores Industriais da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).
Segundo dados da autarquia, o setor encerrou 2017 com 12,1 mil empregos.
Em janeiro deste ano, quando geralmente ocorre um corte de pessoal, os empregos já estavam em 12.222.

Blog

“Valdemir Santana presidente da Sindmetal-AM“

O diálogo que estamos tendo com as empresas de motocicletas, por

exemplo, com a Honda, é que no próximo mês ela vai contratar mais trabalhadores para somar na produção.

Mas, em geral, até este mês, os números de empregos não cresceram, também não demitiram ninguém, mas se mantiveram no mercado.

Nos últimos cinco anos caiu muito a produção de motocicletas. As fábricas reduziram seus funcionários e, o número de financiamentos também caiu, pelas as dificuldades que existia.
A expectativa é que contratem mais pessoas para trabalhar nos próximos meses.

Entretanto, acredito que o industriário é um pouco desvalorizado no mercado de trabalho.
Tiraram um salário de R$ 1,5 mil a 2 mil para pagar um salário mínimo. Há 10 anos o brasileiro ganhava o dobro da China. Precisamos valorizar mais o trabalhador”.

O gerente geral da Triumph, marca inglesa com fábrica em Manaus, Leandro Oliveira, destaca que a partir do segundo semestre eles estimam contratar 8% da força de trabalho da fábrica. Hoje a planta conta com 60 trabalhadores. “Nossos números quase se mantiveram, motos de baixa cilindradas cresceram. Em abril do ano passado produzimos 395 motos e em abril deste ano 398 unidades. Nossa produção anual é 4,5 mil”, diz Leandro.

Para Leandro a crise ainda não terminou, mas o pior já repassou. “Precisamos da retomada de crédito para vislumbrar um crescimento nos próximos meses em torno de 6% até o final do ano”. De acordo com a Moto Honda, de janeiro a abril de 2018 a empresa contabilizou 259, 8 mil motos produzidas, alta de 14,42% se comparado ao mesmo período de 2017, quando houve a produção de 227 mil motos na fábrica da empresa em Manaus. “Acreditamos que o mercado está caminhando rumo à retomada.
Este ano, porém, será um período de incertezas no âmbito político e, a depender dos caminhos traçados, poderemos reforçar esta tendência de crescimento ouvir a enfrentar novos desafios”, diz.

Personagem Antonio Silva

PRESIDENTE DA FIEAM

`O polo de duas rodas tem muito valor agregado’

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antonio Silva, aposta no polo de duas rodas e acredita que nos próximos meses será possível aumentar ainda mais a produção. Aqui temos entregadores de pizza, vendedores de refrigerantes e outros trabalhadores que utilizam motos para realizar seu trabalho. Às vezes isso é até um critério de trabalho, a questão ter moto para trabalhar ou possuir pelo menos a CNH A. Temos que acompanhar a questão dos empregos. É difícil falar dos próximos meses por conta das eleições, mas acredito que o resultado deste primeiro semestre vai ser melhor que o do ano passado", diz.

Bicicletas avançam a toda velocidade

A produção de bicicletas no PIM também aumentou, com uma alta de 24,5% no mês abril em comparação ao mesmo período do ano passado. No total foram 61, 3 mil unidades produzidas em abril deste ano e 49, 2 mil em 2017. Já na comparação com março (60.682 unidades) o crescimento foi de 1,1%. O bom desempenho também foi observado no acumulado dos quatro primeiros meses do ano: de janeiro a abril saíram das linhas de
produção 220 mil bicicletas, expansão de 12,6% sobre as 195.372 unidades produzidas no mesmo período do ano passado. Para João Ludgero, vice-presidente do Segmento de Bicicletas da Abraciclo, o avanço no primeiro quadrimestre mostra que o setor de bicicletas deve seguir este movimento de crescimento sustentável. “Esta alta deve-se à recuperação da economia e, também, ao aumento da demanda por produtos de maior valor agregado, que são considerados ideais para a melhoria da mobilidade urbana e o alcance de resultados mais significativos nas práticas esportivas”, diz Ludgero. A projeção da entidade é fechar o ano com 727 mil bicicletas produzidas no PIM. primeiro semestre vai ser melhor do que o ano passado”, diz.

Outro fator mencionado por Silva sobre a melhora na produção é o aquecimento do comércio interno e a melhora no financiamento. “Antes os bancos exigiam muitas garantias para vender. E com isso despencaram as vendas”.

Fique Informado