Notícias


A importância do planejamento

Artigo publicado pelo Jornal Acritica

Por Antônio Silva

Presidente da FIEAM

A reunião de diretoria da FIEAM, no dia 8, contou com a participação do secretário de Estado, João Orestes Schneider Santos que,em palestra objetiva e esclarecedora,compartilhou conosco a reorganização estrutural em curso que transformará a atual Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti), na Secretaria de Planejamento, Mineração, Ciência e Tecnologia (Seplamict).

O secretário disse que com a inclusão da importante área de mineração, o órgão está sendo estruturado e organizado com a finalidade de formular, coordenar e implementar políticas públicas importantes para o desenvolvimento do Estado.

Trabalhará de forma concatenada com os órgãos públicos e privados estaduais, regionais, nacionais e internacionais, na captação de investimentos nas áreas de mineração, ciência, tecnologia e inovação, tendo como um dos principais objetivos o aproveitamento racional das riquezas naturais, como minerais, óleo e recursos hídricos, de forma ambientalmente sustentável. Priorizará a interiorização do desenvolvimento e crescimento socioeconômico, estabelecendo a valoração econômica dos municípios.

É ambiciosa a meta a ser atingida nos Programas e Projetos do Plano Estratégico 2018-2034 em que o Governo do Estado deverá transformar a realidade existente: reestruturando a organização administrativa do Estado; estabelecendo uma base educacional,considerando as vocações econômicas;ciência, tecnologia e inovação como base à mudança pretendida; ampliando a consciência ambiental e percepção das tendências; investimentos impactantes na área de infraestrutura e serviços logísticos;reordenamento das atividades produtivas do Estado; potencializando os recursos naturais/minerais do Estado; criando sinergia entre arranjos produtivos e polos de crescimento existentes ou novos; efetivando a dinâmica social inclusiva e qualidade de vida.

Como fala o Secretário, "isso só será possível se houver vontade política de fazer acontecer", com a mudança do paradigma da "preservação ambiental" para o de "sustentabilidade", onde o ser humano não seja mais considerado um intruso na natureza e sim integrado no contexto do espaço geográfico de maior biodiversidade do planeta, podendo ser capacitado para promover o uso racional dos insumos naturais, "determinando o que é politicamente desejável com o que é tecnicamente possível de ser executado".

Os objetivos propostos casam-se perfeitamente com as demandas das classes produtoras do Amazonas, pois envolvem o fortalecimento do agronegócio, da pesca e da aquicultura,além de promover a introdução de suínos no Estado.

Projeta também uma maior diversificação do Polo Industrial de Manaus, com a inclusão da industrialização de fertilizantes, metalurgia de estanho e de alumínio, química de gás e um aproveitamento racional dos recursos abundantes de gás, petróleo, nióbio, titânio, estanho, potássio, alumínio e caulim, dinamizando também o interior do Amazonas.

Fique Informado