Notícias


Ponta Pelada é opção para cargas

Uma audiência pública da CDEIC (Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio) da Câmara dos Deputados, analisa hoje, sugestões de melhorias logísticas para o Amazonas. Entre as propostas, a Comissão analisará a transformação do aeroporto de “Ponta Pelada” em aeroporto de cargas, a construção de uma ponte ligando Manaus ao Careiro da Várzea, ações para atrair investimentos internacionais para as hidrovias e criar novos sistemas para agilizar a transmissão de dados eletrônicos.

“Essas medidas viabilizariam uma melhor estrutura de trabalho que intensificaria tanto o setor produtivo quanto o de distribuição”, afirma o professor da UFAM e autor do PBLog (Plano Brasil de Infraestrutura Logística), Antônio Jorge Cunha Campos, que participará da audiência pública na Câmara.

Para ele, é difícil incrementar a produção sem meios que estendam as possibilidades de transportar os produtos amazonenses. “Com apenas um aeroporto autorizado a trafegar com cargas e sem rodovias, é impossível falar de desenvolvimento”, alerta Cunha.

O autor do PBLog é incisivo. "O Brasil, com seus mais de oito milhões e 500 mil quilômetros quadrados, se dá ao luxo de praticamente apartar uma região como a Amazônia, cobiçada pelo mundo inteiro. É mais barato trazer um conteiner da China para São Paulo que da Zona Franca de Manaus para São Paulo", alfineta o especialista.

Segundo a deputada Rebecca Garcia (PP), que faz parte da coordenação da audiência pública, o evento é fundamental para uma discussão mais ampla sobre o assunto. “É consenso nacional que o sistema logístico brasileiro é deficitário, por isso, precisamos aprofundar o debate com soluções que harmonizem os modais ferroviário, rodoviário, hidroviário e aeroviário. Só assim tornaremos o Brasil mais competitivo para o mercado nacional e internacional”, disse a parlamentar.

Rebecca destaca também o PBLog, trabalho coordenado pelo amazonense Antônio Jorge Cunha Campos, doutor em Engenharia de Produção, Logística e Transporte, e desenvolvido com participação de todos os conselhos regionais. De acordo com ela, o estudo será apresentado no debate porque, traz um panorama completo sobre a necessidade de investimento na infraestrutura e logística do país, além de soluções para integração dos modais de transporte. “Essa integração é o fôlego que a Zona Franca de Manaus precisa para ter preço e condições para competir com igualdade em relação aos outros países”, comentou.

Para o coordenador do Comitê de Logística do Cieam (Centro das Indústrias do Estado do Amazonas), Augusto César Rocha, o descaso com os processos logísticos tem gerado prejuízos imensuráveis ao modelo Zona Franca de Manaus. “É urgente e necessário aprofundarmos o debate sobre as alternativas de investimentos”, afirma.

O representante destaca que as restrições hidroviárias no rio Amazonas fazem com que o ‘melhor caminho’ seja –muitas vezes –inutilizado. “Deveria existir um órgão específico para cuidar da logística da região Norte. Os impactos das dificuldades de transportes estão diretamente ligados a produção do PIM (Polo Industrial de Manaus), que poderia ser maior senão houvesse essa desigualdade de competitividade internacional”, disse.

Para o presidente do CRA/ AM (Conselho Regional de Administração do Amazonas), José Carlos de Sá Colares, os transtornos gerados acerca do abastecimento de insumos e distribuição de mercadorias atrapalha a produtividade e precisa de reformas urgentes.

Ponta Pelada

Ponta Pelada foi o principal aeroporto de Manaus durante 22 anos: inaugurado em 1954, serviu como porta de entrada para a capital amazonense até a inauguração, em 1976, do aeroporto internacional Eduardo Gomes.

O aeroporto já era Base Aérea quando o 7° Comar estabeleceu-se em 1983. Até o início da década de 2000 Ponta Pelada era utilizado como alternativa quando o Eduardo Gomes estava fechado devido aos nevoeiros comuns da madrugada, todavia hoje não é permitido que isto ocorra.

A participação


A audiência pública na Câmara dos Deputados será coordenada pelos deputados Rebecca Garcia, João Maia e Guilherme Campos.

Também foram convidados para o evento, o diretor-presidente da Empresa de Planejamento e Logística do Ministério dos Transportes, Bernardo José Figueiredo; o presidente do CFA (Conselho Federal de Administração), Sebastião Luiz de Mello; o presidente da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Antônio Silva; o presidente do Cieam (Centro da Indústria do Estado do Amazonas), Wilson Périco; o presidente do CRA, José Carlos de Sá Colares; o doutor em Logística da Ufam, Antônio Jorge Cunha Campos; o Secretário Nacional de Assuntos Institucionais da Força Sindical, Carlos Lacerda e o presidente da Empresa de Consultoria Macrologística, Renato Casali Pavan.

Fonte: JCAM

Fique Informado